WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia



 

 

Maio 2018
D S T Q Q S S
« abr    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  



DEPUTADO ROBERTO BRITTO VISITA ILHÉUS E REAFIRMA SEU COMPROMISSO A REGIÃO CACAUEIRA.

Em entrevista, concedida ao radialista Jota Carlos, na manhã deste sábado (19), o Deputado Federal, Roberto Britto (PP), falou aos ouvintes da Rádio Santa Cruz de Ilhéus sobre sua pre candidatura à Deputado Estadual, mandatos de Deputado Federal, emendas conquistadas para Ilhéus e destacou os avanços da CEPLAC dentro do estado, deixando ouvintes e ilheenses informados sobre o seu trabalho no Congresso Nacional, em prol da região cacaueira.

“Estou no terceiro mandato de Deputado Federal, e sinto a vontade de regionalizar mais as ações, estar em contato mais próximo com a Bahia. Atualmente minha vida é mais em Brasília, e eu vejo a necessidade de percorrer com mais tempo o estado, principalmente as regiões que possuo compromisso politico, como Ilhéus. Por isso é que hoje iniciei o projeto de buscar uma vaga junto a Assembleia Legislativa da Bahia”, pontuou o atual Deputado Federal, Roberto Britto, que tem cultivado, ao longo dos anos, ações positivas em prol de todo sul e sudoeste baiano, com destaque para cidade de Ilhéus.

 Entre as ações conquistadas pelo deputado, estão as emendas destinadas para contenção e estabilização de encostas da cidade, a e exemplo do Alto da Tapera, na Avenida Itabuna, realizada com recursos do Ministério da Integração Nacional, mediante investimento total de 3,5 milhões de reais. O deputado foi o responsável pela recuperação de dois morros, atingidos em 2013 pelas fortes chuvas, que causaram danos localidade, levando o município a solicitar recursos federais.

“Estava no alto da Tapera, e realmente eu estive conversando com uma moradora e ela disse pra mim que estava prestes a morar em baixo da ponte, ‘mas com esta encosta aqui eu reconstruí minha casa e hoje eu durmo tranquila porque sei que nada de mal vai acontecer’”, contou ao deputado o radialista, confirmando que o bom destino do dinheiro público quando casado com as boas emendas conquistadas pelo parlamentar, ganha o reconhecimento do povo.

Eu fico feliz com este depoimento, Jota, porque nós tivemos participação nesta conquista e saber a comunidade de fato foi contemplada com nosso trabalho, é gratificante”, respondeu Roberto Britto.

Outras intervenções como reuniões com o ministério da Integração, para solucionar o drama das Praias do Norte com o avanço do mar, e a capitação de recursos para reinauguração do Teatro Municipal de Ilhéus também foram iniciadas pelo parlamentar, que priorizou em seu mandato Ilhéus e a região cacaueira.

CEPLAC

Admirador declarado do cacau e de todo desenvolvimento agrícola do estado, Roberto Britto, adotou em seu mandato de parlamentar a CEPLAC como sua maior bandeira, dentro do Congresso. “Eu tenho a CEPLAC como um patrimônio nacional. Nós sabemos perfeitamente que a instituição é muito forte, ela já sustentou a Bahia e alguma parte do Brasil durante muitos e muitos anos com o cacau”, informou o deputado, entusiasmado com o crescimento que a instituição, vem resgatando nos últimos anos, com a pratica de novas culturas.“Antes a CEPLAC tratava única e exclusivamente do cacau, hoje ela já possui outras culturas. Esta semana saiu uma matéria a nível nacional falando da apicultura e dos nossos pesquisadores, dos nossos técnicos onde foi desenvolvido uma Abelha Rainha, que tem um índice de produção de mel bem superior as outras. Isso nasceu dentro dos escritórios da CEPLAC”, contou

o deputado, orgulhoso dos trabalhos apresentados pelos profissionais que elevam o nome da instituição e ajudam a desenvolver a região econômica e cientificamente, a exemplo do atual superintendente, Alexandre Brandão, que recebeu o reconhecimento do parlamentar. “Quero destacar o belo trabalho desenvolvido pelo Alexandre, elogiado por todos os setores da CEPLAC, pela maneira democrática como ele conduz a entidade, isso é extremamente importante. Uma instituição como a CEPLAC precisa disso, de ter pessoas com o perfil dele, com o perfil agregador, porque tenho certeza absoluta que quem ganha com isso é a instituição”, completou Roberto Britto, ressaltando a importância de que toda a classe politica abrace a instituição, diante a todo potencial econômico, cultural, histórico e cientifico que ele agrega para o Brasil, lembrando da luta travada, no ano de 2016, com a ex-ministra da Agricultura, Kátia Abreu, a qual pretendia “acabar” com a CEPLAC. Na ocasião a ministra chegou a baixar o decreto, nº 8.701/16, que rebaixava a instituição a um departamento.

“Nos reunimos com a Ministra e brigamos pela CEPLAC, eu e alguns deputados que defendem esta causa. Na época alguns técnicos apoiavam a posição da Katia Abreu, mas nos fomos firmes e defendemos a importância da pesquisa, da assistência técnica e da inspeção rural. A CEPLAC não pode viver dissociada disso”, argumentou o deputado expondo aos ouvintes a vitória que obteve, conseguindo a revogação do decreto.

Ainda sobre as demandas da CEPLAC, Roberto Britto, ressaltou a importância de se reestruturar o modelo administrativo da instituição.

“Solicitei uma audiência com o atual Ministro da agricultura Blairo Maggi, para discutirmos a importância da CEPLAC para o Brasil, e a importância do sistema Integrado entre pesquisa e extensão rural que a CEPLAC faz há 61 anos, além da necessidade da contratação de servidores, pois há mais de 30 anos que não existe concurso, os funcionários estão aposentando e é preciso passar o conhecimento para a nova geração”, pontuou o deputado em seu encontro com o Ministro da Agricultura.

Diante as demandas apresentadas ao ministro, houve a contratação da Consultora Larissa Schimidt, que esteve na superintendência da CEPLAC com servidores e agricultores para produção do levantamento, que será entregue no próximo dia 05 de junho. Após este levantamento, marcaremos uma nova reunião com o ministro, Blairo Maggi, para efetivarmos a nova CEPLAC”, concluiu Roberto Britto.

Instituto Biofabrica de Cacau

Durante sua visita a Ilhéus, o Deputado Federal, Roberto Britto, visitou o Instituto BioFabrica de Cacau, na estrada de Ilhéus-Uruçuca, uma organização social vinculada ao Governo do Estado que tem como um de seus objetivos a produção de mudas de cacaueiros selecionados, resistentes a enfermidades e de alta produtividade, além de mudas de outras espécies florestais.

O Instituto é coordenado engenheiro agrônomo Lanns Alves de Almeida Filho,que caminhou com o deputado, por toda instituição, explicando os processos da produção das mudas. A visita encantou o deputado que fortaleceu, ainda mais, o seu interesse em lutar pelo fortalecimento de todas as esferas que contemplem o universo do cacau.

“Quem mora nessa região tem por obrigação conhecer a riqueza desta instituição. Quero parabenizar ao Lanns Almeida pela técnica e comprometimento com o instituto. A cultura do cacau precisa de pessoas que conheçam sua técnica, ensinem seu manejo e amem sua produção. Estou muito feliz por tudo que vi hoje aqui em nossa região”, concluiu o Deputado Federal, Roberto Britto, em sua visita a Ilhéus, cidade a qual possui como prioridade em sua gestão política, devido ao compromisso já firmado com o povo desta terra.

 Ao longo do dia Roberto Britto, se reuniu com servidores públicos, representantes do projeto Cabrucabilidades, vereadores da cidade de Itajuípe, além de lideranças da sociedade civil, com a finalidade de levar ao Congresso Nacional, as demandas da região cacaueira e transforma-las em resultados sólidos para população.

por Caliana Mesquita :: LEIA MAIS »

Solenidade marca Criação do CONSEG Norte e Oeste de Ilhéus e empossa Diretoria Executiva

 

A noite desta quarta-feira (09) foi marcada pela Cerimonia de Criação do Conselho Comunitário de Segurança Pública das Zonas Norte e Oeste de Ilhéus. Autoridades e representantes da sociedade civil, estiveram presentes para prestigiar e aclamar os membros da diretoria executiva, que estarão à frente deste conselho pelo próximo triênio (de 09 de maio de 2018 até 2021).

“Estamos criando um espaço para que todos possam se reunir e refletir sobre os problemas que nos afligem, e batalhar contra a sensação de insegurança que permeia a sociedade atual. Este conselho visa integrar as pessoas para juntos pensarmos em estratégias de enfrentamento aos problemas relativos a segurança pública, especificamente das zonas Norte e Oeste”, disse a Presidente do CONSEG Norte e Oeste, Luciana Pauletti, na solenidade que contou com a palestra do Dr. Mauricio Pessoa Gondim de Matos, Titular da 1ª Promotoria de Justiça de Ilhéus e Coordenador do Comitê Interinstitucional em Segurança Pública – CISP/Regional de Ilhéus, que falou sobre Conselhos Comunitários de Segurança Pública, ressaltando o papel da sociedade no combate a violência por meio de ações coletivas. 

“A segurança pública envolve uma série de fatores que precisam ser debatidos e discutidos com as autoridades e com a sociedade civil. Os conselhos visam interligar os poderes em prol da solução pratica diante aos problemas que envolvem a segurança nas comunidades”, disse o Promotor durante a sua apresentação.

O Juiz de Direito da Vara do Juri, Dr. Gustavo Lyra, a Delegada da Policia Civil, Drª Andreia Oliveira, e o representante do Conselho Tutelar do Norte, Daniel Nascimento Santos, fizeram seus pronunciamentos parabenizando a iniciativa dos membros do conselho, enfatizando a importância de se ter a sociedade como fiscal da segurança pública, e destacaram o apoio e comprometimento do Comandante da 70ª CIPM, Major Rivas Queiroz, diante a viabilização deste novo braço de apoio para segurança comunitária da região.

O CONSEG Norte e Oeste atuará no território de abrangência da 70ª Companhia Independente de Policia Militar, e terá o contato direto com as demandas das comunidades locais. Para o Major da Companhia, este conselho tem uma importância ainda maior.

“Nós temos uma missão muito difícil, e cada vez mais difícil em nosso país, que é preservar a vida, garantindo o nosso direito à cidadania. Este conselho vai fazer exatamente essa ponte junto a sociedade, para nos trazer informações, para buscar exigir dos nossos representantes mais recursos e que possa contribuir diretamente com a solução dos problemas enfrentados no dia a dia. A Polícia Militar, como um todo, tem enfrentado com muito sacrifício esta questão da violência, sacrifícios que eu digo pessoais dos policiais, por que cada vez é mais difícil o trabalho, e certamente com o apoio da sociedade organizada as coisas ficam mais fáceis”, disse o Major.

Ao final da solenidade foi realizada a leitura da ata, a qual a Presidente do conselho, solicitou aclamação dos presentes para empossar os conselheiros aos seu respectivos cargos, ficando assim composta a Diretoria Executiva do CONSEG Norte e Oeste:

Presidente – Luciana Pauletti/Vice presidente – Baltazar Cordeiro/

1º. Secretário-  Carivaldo Pessoa/2º. Secretário.  Jefferson Rodrigues/Diretoria Financeiro Vinicius Esteves/Diretor de Relações Públicas-  Caliana Mesquita/Diretor social e cultural _ Edson Nery/Diretor Adjunto-  Carlos Kanthack

Conselho Fiscal :Djalma Fernandes/António Luís Fonseca/Elma Thiana Oliveira- Suplente Carlos Kanthack Junior

  Conselho consultivo: Comandante da PM . Major Rivas Queiroz/Delegado de Polícia Civil Dr. Evy  Paternostro.  Suplente Dra. Andrea Oliveira/Promotor Público Dr. Maurício Matos/Juiz de direito Dr.  Gustavo Lyra/Coordenador do Conselho Tutelar norte Daniel Nascimento Santos.

Registraram presença o Bispo da Diocese de Ilhéus, Dom Mauro Montagnoli, o Diretor de Relações Institucionais do CONSEG Sul, Tony Martiolli, a Dra. Rubia Carvalho, o Presidente da Associação Comercial de Ilhéus, Antonio Marcos,  O Tenente Coronel, Ildciceu Bastos, O Comandante da Guarda Municipal de Ilhéus, Sr. Leonardo Bandeira, a Capitã Viliani, representando o 5º GBM, o Capitão Lima, representando a 68ª CIPM e o Capitão Cidreira, representando a 69ª CIPM, além dos Policiais Militares da 70ªCIPM e membros da sociedade que entendem a importância deste conselho para o desenvolvimento da segurança pública da cidade de Ilhéus.

Ao final do evento, registraram presença os vereadores Gil Gomes e Pastor Matos.

Por Caliana Mesquita

APEDFI faz ação para comemorar o dia da mães em Ilhéus

A doença falciforme genética hereditária que atinge grande parcela da população afro descendente, traz consequências graves aos órgãos vitais. As crises de dores é a maior causa de hospitalização desses pacientes. O assunto já noticiado aqui no Ilhéus em Pauta.

Por isso a  APEDFI (Associação de Pessoas com Doenças Falciformes de Ilhéus)  como forma de proporcionar momentos de alegria, Aproveita as datas comemorativas para confraternizar com as familias. E no próximo domingo dia 06 de maio,  estará comemorando o dia das mães e para tanto eles contam com o apoio dos amigos da APEDFI, que pode ser através de doação de um brinde para sorteio.
Eles contam com a colaboração agradecemos ao tempo em que convidamos para abrilhantar nossa festa. O empresariado local bem como a população que se sensibilizem e quiserem contribuir de alguma forma, pode manter contato para a retirada dos brindes através dos fones  (73) 99137 9026 e (73)
981142559

Local do evento:
Mundo Baby Eventos
Rua Santa Luzia 475
Teotônio Vilela

Lava Jato faz buscas nos gabinetes do deputado Eduardo da Fonte e do senador Ciro Nogueira, do PP

A Polícia Federal (PF) cumpriu mandado de busca nesta terça-feira (24) nos gabinetes e também nos apartamentos funcionais do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) e do senador Ciro Nogueira (PP-PI), presidente nacional da legenda.

O mandado foi autorizado pelo ministro Edson Fachin, relator dos processos da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). A operação foi deflagrada em conjunto com a Procuradoria Geral da República.

A PF também cumpriu mandado de prisão contra o ex-deputado Márcio Junqueira (Pros-RR). Ele foi preso em Brasília. O G1 falou com um advogado de Junqueira, em Roraima, mas ele disse não atuar no caso que resultou na prisão. A reportagem continua tentando contato com a defesa do ex-deputado.

As investigações apuram uma suposta tentativa de obstrução de Justiça. De acordo com investigadores, Eduardo da Fonte e Ciro Nogueira são suspeitos de comprar o silêncio de um ex-assessor do senador que vem colaborando com a Justiça. O assessor detalhou que recebia o pagamento em espécie e quem repassava o dinheiro era o ex-deputado Márcio Junqueira.

Segundo investigadores, o ex-assessor colabora com diversas investigações no âmbito da Lava Jato e teria sido ameaçado de morte. Por conta das ameaças, ele foi incluído no programa de proteção à testemunha.

A PF cumpriu oito mandados de busca e apreensão – todos em endereços ligados aos três alvos da operação desta terça-feira.

Alvos da operação

O deputado Eduardo da Fonte e o senador Ciro Nogueira já foram denunciados e são alvos de investigações no Supremo Tribunal Federal (STF).

Eduardo da Fonte foi denunciado em setembro do ano passado por integrar o chamado “quadrilhão do PP”. O parlamentar também foi denunciado por ter participado de uma negociação para barrar uma eventual CPI da Petrobras no Congresso, mas o STF rejeitou a acusação.

Além disso, foi investigado por corrupção e lavagem de dinheiro em um terceiro inquérito da Lava Jato, mas o caso foi arquivado em abril.

Dia do Índio: Quais os desafios da educação Indígena no Brasil?

Conheça a história da indígena Valéria Truká

No dia em que se comemora o Dia do Índio, 19 de abril, vale uma reflexão sobre como os indígenas e seus descendentes estão inseridos na nossa sociedade. A data serve para reforçar a identidade do povo indígena no Brasil, população que faz parte desde o início da nossa cultura. Por saber o papel da formação educacional e de como se pode ir longe por meio dos estudos, é fundamental saber como estão inseridos no sistema educacional e quais são os desafios.

A estudante indígena de nome social Valéria Truká entrou na Universidade Estadual do Estado da Bahia (UNEB) pelo sistema de cotas e ressalta a questão do preconceito ainda embutido em uma sociedade que se diz globalizada. “Eu sofri preconceito pela cor, porque existe um estereótipo formado do que é uma pessoa indígena. Já escutei piadinhas do tipo: você anda arrumadinha, anda de roupa, usa computador, tem o celular melhor que o meu, só que eu trabalhei para comprar o celular. Reflito, por que eu sou indígena eu não posso ter uma coisa melhor? Isso me machucava muito na época. Hoje estou mais madura, não ligo tanto”, comenta.

A indígena que atua como pesquisadora de memórias na faculdade, saiu da sua aldeia aos sete anos, em Cabrobó, Pernambuco. E provou que pode ir muito longe com os estudos. Hoje lidera um movimento que responde pelos indígenas da UNEB, onde estuda Nutrição. Atualmente, pensa em trocar de curso para realizar um sonho: ser professora, quer compartilhar conhecimento e contribuir para a formação da sua população indígena.

“Vou cursar Pedagogia pelo fato de querer me envolver mais com minha descendência. Penso em ser professora, mas voltada para o público indígena. Ou seja, quero fazer o que estão fazendo lá na aldeia, colocando o quadro de professores da própria comunidade e trabalhar com os jovens de maneira mais centrada. Eu penso em voltar para a aldeia ou para outra também. O certo é que quero trabalhar com a comunidade indígena” afirma com esperança.

Valéria tem essa uma preocupação pelo fato de ter enfrentando choque de cultura na sala de aula. Muitos professores não buscam capacitação para lidar com os alunos indígenas. Outro fator negativo é a inexistência de material didático especifico.  De acordo com Censo Escolar 2015, realizado pelo Ministério da Educação (MEC), metade das escolas indígenas têm material didático específico para o grupo. Ou seja, outra metade trabalha sem o material adequado.

Bolsas de estudo e a inclusão educacional
Por pensar em uma educação ao alcance de todos é que surgiu o programa de bolsas de estudo Educa Mais Brasil. É possível estudar com descontos nas mensalidades desde a Educação Básica até o Ensino Superior, além de Cursos Técnicos e Livres também. Para quem pensa em se especializar na cultura Indígena, assim como Valéria, é possível cursar uma Pós-Graduação da Cultura Afro-Brasileira e Indígena. Acesse o site e confira muitos outros cursos disponíveis. A inscrição é gratuita!

fonte: Correio da Bahia

TJ-RJ nega primeiros 22 habeas corpus analisados no caso dos suspeitos de integrar milícia presos

A desembargadora Gizelda Leitão, da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, negou seguimento aos primeiros 22 habeas corpus examinados de um total de 161 pedidos impetrados em favor dos homens detidos em uma operação policial de combate à milícia realizada no último dia 7, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Em razão do elevado número de presos, os demais casos ainda serão analisados.

Nos habeas corpus em que já houve decisão, a desembargadora afastou a existência de qualquer ilegalidade ou constrangimento ilegal nas prisões. Segundo a magistrada, a tese sustentada pela defesa dessas pessoas é de que elas participavam de uma festa paga num sítio. Mas os relatos dos policiais apontam para a inexistência de bilheterias ou de qualquer profissional ligado à realização de eventos.

“Os participantes da festa eram sim ‘recepcionados’ e tinham o acesso autorizado por homens fortemente armados (armas de guerra – fuzis), mas nem isso causou estranheza ou temor aos participantes da ‘festa'”, destaca a decisão.

O motivo da “festa” seria uma homenagem a Wellington da Silva Braga, o “Ecko”, investigado por integrar organização criminosa armada com atuação na prática de milícia privada. Durante a operação, quatro homens armados com fuzis foram mortos após troca de tiros com a polícia.

No local houve a apreensão de 24 armas de fogo, dentre elas fuzis, pistolas, revólveres, granada, 76 carregadores, 1.265 munições de calibres variados, coletes balísticos, fardamentos e toucas ninja. Também foram apreendidos nada menos que 11 veículos.

:: LEIA MAIS »

FPI resgata mais de 200 animais silvestres na região de Santa Maria da Vitória

Mais de 200 animais silvestres, entre eles pássaros e jabutis, foram resgatados durante a 42ª etapa da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI), que acontece desde segunda, dia 9, na região de Santa Maria da Vitória. Entre os animais resgatados estavam uma arara vermelha, no município de Jaborandi, e uma arara Canindé, no Município de Coribe. Na terça-feira, dia 10, um criador de animais foi conduzido à delegacia de Santa Maria da Vitória, após ter sido flagrado com um pássaro com anilha adulterada, que é o documento de identificação dos animais silvestres legalizados. O criador pagou fiança de R$ 477,00 e vai responder em liberdade por receptação de animal com anilha falsificada, podendo pegar de 1 a 4 anos de prisão.

Em Serra Dourada, quatro postos de gasolina foram fiscalizados, sendo que três deles foram autuados e notificados, pois não tinham a documentação exigida pelo Corpo de Bombeiros. Além disso, foram apreendidos em uma cerâmica 50,5 metros cúbicos de toras de angico, madeira nativa utilizada ilegalmente. Foi aplicada uma multa no valor de R$ 15.150,00 ao proprietário da cerâmica. Também foram encontrados fornos de carvão em funcionamento. Os equipamentos foram destruídos, juntamente com 80 metros cúbicos de carvão armazenados no local.

No município de Santa Maria da Vitória, a equipe da FPI vistoriou ainda estabelecimentos que comercializam agrotóxicos de forma ilegal e apreendeu 15 quilos de um produto formicida. O proprietário do comércio foi autuado em R$15 mil. Em Sítio do Mato, técnicos e policiais retiraram do Rio São Francisco 1.500 metros de rede de pesca que estavam fora do padrão determinado pelo Ibama. Também foram destruídos 80 metros cúbicos de carvão armazenados no local e fornos que estavam em funcionamento.

As cidades que são alvo das ações desta etapa da FPI são: Santa Maria da Vitória, São Félix do Coribe, Canápolis, Santana, Serra Dourada, Tabocas do Brejo Velho, Brejolândia, Cocos, Coribe, Correntina e Jaborandi. A força-tarefa, que já acontece há 15 anos, tem como objetivo evitar ações de degradação ao meio ambiente no Velho Chico e à população dos municípios banhados pelo rio considerado da integração nacional. Além do MPBA, integraram a FPI o Ministério Público Federal, Ministério Público do Trabalho, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Agência Peixe Vivo, Grupamento Aéreo da Polícia Militar da Bahia (Graer), Fundação Nacional do Índio (Funai), Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec), Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Agência Nacional de Mineração (ANM), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea-BA), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Polícias Civil e Militar, Polícia Federal, Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri), Secretaria da Fazenda (Sefaz), Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), por meio da Vigilância Sanitária e Ambiental (Divisa), Secretaria de Segurança Pública (SSP), Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), Superintendência do Patrimônio da União na Bahia (SPU/BA), Marinha do Brasil, Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Estado (Sepromi) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Cecom/MP – Telefones: (71) 3103-0446 / 0449 / 0448 / 0499 / 6502

Promotor do caso de Alckmin foi assessor de ex-secretário do tucano

Luiz Henrique Dal Poz foi chefe de gabinete do secretário de Justiça do governo Alckmin

O inquérito que investiga o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) por suspeita de caixa 2 nas campanhas de 2010 e 2014 será remetido ao promotor da 1.ª zona eleitoral de São Paulo Luiz Henrique Dal Poz, conhecido por ter atuado na prisão e condenação do ex-médico Roger Abdelmassih por 52 estupros.

Designado promotor eleitoral até 2019, Dal Poz é titular da Promotoria de Repressão à Sonegação Fiscal e já foi chefe de gabinete do secretário de Justiça do governo Alckmin, Márcio Elias Rosa, quando este era procurador-geral de Justiça, chefe do Ministério Público Estadual (MPE), entre 2012 e 2016.

Dal Poz herdará o inquérito aberto em novembro do ano passado contra Alckmin no Superior Tribunal de Justiça (STJ) por decisão da ministra Nancy Andrighi, que acolheu na quarta-feira, 11, um pedido do vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, e tirou a investigação das mãos da força-tarefa da Lava Jato.

Segundo ele, as delações feitas por três executivos da Odebrecht de pagamentos de R$ 10,7 milhões a Alckmin por meio de um cunhado do ex-governador e do tesoureiro da campanha “indicavam suposta prática de crime eleitoral”. A medida foi tomada depois que Alckmin perdeu o foro privilegiado por ter renunciado ao mandato de governador do Estado para disputar a Presidência.

Procuradores da Lava Jato em São Paulo haviam pedido a Maia que remetesse “o mais rápido possível” o inquérito sobre Alckmin para a primeira instância com o argumento de que o processo poderia auxiliar outras apurações. Agora, a investigação passa a ter caráter de crime eleitoral e não mais de crime comum.

Dal Poz disse que vai analisar o inquérito para saber se a competência é mesmo da Justiça eleitoral e afirmou não ver problema em ter trabalhado com o secretário de Alckmin. “Não vejo nenhuma relação que poderia me colocar numa condição de impedimento ou suspeição”.

Se os procuradores da força-tarefa Lava Jato de São Paulo tiverem informações que possam levar adiante investigação sobre atos de corrupção ou outro crime praticados, “nada os impede de iniciar uma apuração criminal sobre os fatos”, informou a Secretaria de Comunicação da Procuradoria-Geral da República.

“Os procuradores também podem solicitar o compartilhamento de informações junto à Justiça Eleitoral, para onde o inquérito foi encaminhado por decisão do STJ”, diz nota da PGR.

Segundo Dal Poz, o inquérito pode ser remetido à segunda instância eleitoral porque entre os investigados está o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcos Monteiro, tesoureiro da campanha de 2014 e que foi mantido no governo por França.

Na esfera cível, a Promotoria do Patrimônio Público da capital também instaurou uma apuração preliminar para investigar possível improbidade administrativa cometida por Alckmin com base nas mesmas denúncias da Odebrecht.

O promotor do caso, Otávio Garcia, já solicitou ao procurador-geral Gianpaolo Smanio informações sobre apurações em andamento contra Alckmin, que até renunciar ao cargo, no dia 6, só poderia ser investigado pelo chefe do MPE.

Em nota, Alckmin disse que “desconhece o procedimento” e que “está à disposição para prestar quaisquer esclarecimentos”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Polícia indicia proprietário de empresa dona de lancha, engenheiro e comandante por tragédia que matou 19 na Bahia

O proprietário e o engenheiro da empresa CL Transporte Marítimo, responsável pela lancha que virou e deixou 19 mortos, na Baía de Todos-os-Santos, na Bahia, assim como o comandante da embarcação, foram indiciados pela Polícia Civil por homicídio culposo e lesão corporal culposa pela tragédia.

A informação foi divulgada pelo delegado Ricardo Amorim, titular da 24ª Delegacia Territorial (DT/Vera Cruz) – responsável pelas investigações -, durante coletiva de imprensa, em Salvador, na manhã desta quinta-feira (12). A delegada Fernanda Porfirio, diretora do Departamento de Polícia Metropolitana, que comanda a 24ª DT, também participou da coletiva.

O acidente ocorreu no dia 24 de agosto de 2017. No total, 120 pessoas viajavam na lancha. Quatro delas eram tripulantes, incluindo o comandante da embarcação. Setenta e quatro pessoas ficaram feridas. Duas delas com gravidade.

No dia 23 de janeiro deste ano, a Marinha já havia divulgado que o resultado do inquérito do órgão apontou que o acidente foi provocado por uma série de negligências e imprudências por parte do dono da empresa, do engenheiro e do comandante.

De acordo com o delegado Ricardo Amorim, as investigações apontam que o dono da empresa, Lívio Garcia Galvão, teria instalado pesos de lastra na lancha, o que acabou causando a instabilidade da embarcação durante a navegação.

Ainda segundo o delegado, o engenheiro naval que avaliou a embarcação, identificado como Henrique José Caribé Ribeiro, teve culpa imputada por ter feito cálculos errados sobre a lancha durante a avaliação, o que acabou liberando uma lancha inapropriada para travessia.

Já o comandante da embarcação, Osvaldo Coelho Barreto, teve culpa no acidente apontada pelas investigações por ter usado a lancha mesmo sabendo que ela era instável, além de ter seguido com ela por uma rota que não era segura. Conforme o delegado, no dia do acidente, o homem chegou a recomendar que a mulher dele não viajasse na lancha.

Segundo o delegado, a mulher, que não teve o nome divulgado e que, assim como o marido, é moradora da Ilha de Itaparica, teria um exame marcado em Salvador no dia da tragédia, mas desistiu do procedimento após orientação de Osvaldo Coelho. Ainda segundo o delegado Ricardo Amorim, o comandante chegou a pedir que a lancha fosse substituída um dia antes do acidente, mas não foi atendido e, mesmo assim, partiu com a embarcação.

Após a conclusão do inquérito, conforme o delegado Ricardo Amorim, o material foi encaminhado para o Ministério Público da Bahia (MP-BA). O órgão irá definir se oferecerá ou não a denúncia à Justiça.

INTERNOS FAZEM REBELIÃO NO PRESÍDIO ARISTON CARDOSO

Princípio de rebelião no Presídio Ariston Cardoso, em Ilhéus. Internos do módulo 2 atearam fogo em colchões para impedir que a Cipe Cacaueira, tropa especializada da PM, fizesse uma revista. A tropa havia programado a “batida” para as 14 horas desta quinta, tentando surpreender os internos.

Segundo a direção do presídio, os presos começaram a atear fogo nos colchões ao perceberem o movimento das tropas. A ideia da direção e da polícia era surpreender os internos, que estavam acostumados às vistorias sempre na primeira hora do dia.

Ainda de acordo com a direção do presídio, a situação foi logo controlada. Houve reforço das tropas da PM para entrar no módulo 2 e fazer a revista completa. Além de mais policiais, Corpo de Bombeiros foi acionado para debelar o incêndio.

O horário da revista foi alterado para tentar surpreender os internos depois que se percebeu movimentação estranha, o que apontaria um maior volume de armas e telefones celulares. Mais informações em instantes.

blog do marcelo


  • Função: Consultor de Vendas
  • Cidade: Ilhéus
  • Salário: A combinar
  • Empresa: Almeida Krüger
Candidatar

  • Função: Consultor de Vendas
  • Cidade: Ilhéus
  • Salário: R$1500
  • Empresa: Souza Vasconcelos Representação E Consultoria Ltda
Candidatar

  • Função: Consultor Comercial
  • Cidade: Ilhéus
  • Salário: R$4000
  • Empresa: (Confidencial)
Candidatar

  • Função: Repositor de Mercadorias
  • Cidade: Ilhéus
  • Salário: R$1000
  • Empresa: Tms
Candidatar

  • Função: Consultor de Vendas
  • Cidade: Ilhéus
  • Salário: A combinar
  • Empresa: Almeida Krüger
Candidatar

  • Função: Técnico de Suporte
  • Cidade: Ilhéus
  • Salário: R$1700
  • Empresa: Hepta
Candidatar

  • Função: Representante Comercial
  • Cidade: Ilhéus
  • Salário: R$1500
  • Empresa: Payments Do Brasil
Candidatar

  • Função: Farmacêutico
  • Cidade: Ilhéus
  • Salário: A combinar
  • Empresa: (Confidencial)
Candidatar

  • Função: Costureira
  • Cidade: Ilhéus
  • Salário: A combinar
  • Empresa: (Confidencial)
Candidatar

  • Função: Montador de Móveis
  • Cidade: Ilhéus
  • Salário: A combinar
  • Empresa: (Confidencial)
Candidatar

Powered by SINE


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia